idademédia logo.gif










Peste Negra e Revoltas Camponesas
 
 Peste Negra
 
As transformações climáticas alteraram o ciclo da produtividade agrícola, gerando escassez de alimentos. Enfraquecida pela fome, a população europeia ficou vulnerável às epidemias, como o caso da Peste Negra. Então, durante o século XIV, houve a devastação por esta temível doença.

london_zoo4aA Peste Negra foi responsável pela morte de um terço dos habitantes, e era transmitida através da picada de pulgas de ratos contaminados pela bactéria Pasteurella Pestis. Localizados nos porões de navios, esses roedores eram oriundos do Oriente.

A epidemia disseminou-se rapidamente desde o norte da Itália, onde começou a se manifestar em 1347, e atingiu praticamente todo o ocidente europeu, interrompendo a Guerra dos Cem anos. Percorrendo diferentes classes sociais, vários habitantes foram vítimas, dentre eles: reis, príncipes, senhores feudais, artesãos, servos e padres.

As cidades medievais favoreciam o surto da doença, pois sem o mínimo de condições higiênicas adequadas, os ratos puderam se espalhar facilmente. A pessoa que tivesse contato com a epidemia, em poucos dias, morreria devido à carência de conhecimentos médicos na época. Os sintomas mais comuns eram: febre, vômito, mal-estar, bolhas de sangue e pus pelo corpo, principalmente na região das axilas, pescoço e virilhas.

Devido à falta de orientação e conhecimento da doença, várias pessoas atribuíam à doença distúrbios comportamentais, ambientais ou religiosos, complicando severamente a situação. A fuga para o meio rural por receio de contágio era muito comum. O preconceito chegava a um nível tão extremo, que os contaminados eram, por muitas vezes, abandonadas em florestas ou locais afastados pela própria família.

A Igreja era contra qualquer tipo de desenvolvimento científico e farmacológico. As pessoas que tentassem elaborar remédios que erradicassem a doença, eram acusadas de bruxaria, perseguidas e condenadas à morte.

dreamstimefree_135382a.jpgA Peste Negra se alastrou gravemente pela Europa, fazendo tantas vítimas que já não existiam espaços no cemitério, nem caixões para enterrar os mortos. Os menos favorecidos eram enrolados em panos e enterrados em valas comuns.

No final do século XIV, a adoção de medidas higiênicas nas cidades medievais controlou a doença e, com o passar dos séculos, esta foi identificada e estudada.
 
 Revoltas Camponesas
 

Depois da epidemia e mortes causadas pela Peste Negra, houve uma diminuição considerável da população europeia. Notando que a baixa produtividade nos feudos era decorrente da falta de gente pra trabalhar, muitos senhores feudais resolveram aumentar os impostos, taxas e obrigações de trabalho dos que sobreviveram. Para compensar o trabalho dos que tinham morrido, muitos tiveram que trabalhar dobrado nos feudos.


Em consequência dos fatos, algumas revoltas estouraram em diversas regiões da Inglaterra e da França. Os camponeses lutavam contra o aumento das explorações dos senhores feudais; invadiam castelos e, por vezes, matavam os exploradores. Todavia, os nobres sufocaram com violência muitos dos movimentos; já em outros casos, os revoltosos obtiveram sucesso diminuindo a opressão e trazendo conquistas.


Uma das mais conhecidas revoltas ocorreu na França, entre o dia 28 de maio e 24 de junho de 1831, e se chamava Jacquerie (nome derivado da designação pejorativa: Jacques Bonhomme -Jacques, O simples – referência a como os nobres chamavam os camponeses). Além dessa, outras notáveis aconteceram sob o comando de Jonh Nall, Wat Tyler e Jack Straw.