Guerreiro MedievalEm 395, o Imperador Teodósio II dividiu o Império Romano em duas partes: Ocidente, com a capital na cidade de Roma, e Oriente, em uma antiga colônia grega chamada Bizâncio. Constantino, imperador, transferiu a capital de Roma para Bizâncio, passando a ser conhecida como Constantinopla.

Um fato importante durante o reinado de Teodósio II foi o impedimento da ferocidade dos Hunos em invadir Constantinopla. O Imperador concordou em pagar um grande tributo em ouro para Átila, líder dos Hunos.

Um dos mais conhecidos imperadores bizantinos foi Justiniano, pois seu reinado correspondeu ao ápice do Império Bizantino. Essa era iniciou-se em 527 e terminou em 565, destacando-se alguns conceitos e acontecimentos relevantes do período como:

  • Cesaropapismo – César, chefe do Estado, torna-se autoridade suprema nas questões religiosas.
  • Grande Cisma do Oriente – Dentro desse contexto, o estado passa a interferir constantemente nos assuntos religiosos, provocando intensos desgastes sociais. Então, no ano de 1054, a cristandade se divide em duas Igrejas: Católica do Ocidente, com sede em Roma, e do Oriente (Ortodoxa).
  • Guerra da Reconquista – Justiniano tenta reconstituir o antigo Império Romano, buscando reconquistar o Norte da África, a Itália e a Espanha. Estas estavam sob domínio dos bárbaros.
  • Revolta Nika – Insatisfações e lutas sociais geradas pela política tributária instaurada pelo governo, sustentando a Guerra da Reconquista. Justiniano fez uso da violência para conter a revolta.
  • Corpo do Direito Civil (Corpus Juris Civilis) – Criada e elaborada por Justiniano, essa legislação era composta da seguinte forma: O Código (revisão de todas as leis romanas), o Digesto (sumário escrito por juristas), as Institutas (manual para estudantes de Direito) e as Novelas (conjunto de leis criadas).

Religião e Cultura

Monge FranciscanoAs questões relacionadas à religiosidade eram predominantes entre o povo bizantino. Extensos debates teológicos eram discutidos com o intuito de definir, por exemplo, o monofisismo (tese que afirmava que Cristo tinha uma única natureza, a divina. Dessa forma, ficava negada a sua dupla natureza: humana e divina). Outro assunto bastante abordado era a iconoclastia, um movimento que pregava a destruição dos ícones ou imagens sagradas.

A arquitetura merecia destaque em relação ao que era feito anteriormente, na construções de mosteiros, igrejas, fortalezas e palácios. Uma característica ímpar era o uso de cúpulas nas obras. A Igreja de Santa Sofia, construída durante o reinado de Justiniano, foi uma das mais exuberantes igrejas já feitas. A representação de figuras religiosas, de políticos e estilização de plantas e animais através da arte do mosaico são pontos de destaque.

Fim do Império Bizantino

Com a morte do Imperador Justiniano, o reino entrou em decadência. No período entre os séculos VII e VIII, os árabes conquistaram o reinado e em 1453, os turcos ocuparam Constantinopla.

Expansão Islâmica sobre a Europa: Entre os anos 661 e 750, ocorreu na Europa, entre outros lugares, o avanço árabe da Dinastia dos Omíadas, de origem Islâmica. Chegando à Península Ibérica, a expansão foi contida por Carlos Martel, em 732, na Batalha dos Poitiers. A expansão do Islamismo também foi outro fator contribuinte para o contato entre culturas ocidental e oriental.